Category Archives: Marketing

Programa e aulas de Marketing

Programa de Marketing 2017 2018

Cronograma aulas e trabalhos

 

Anúncios

B2B Marketing – by Raquel Barbosa Ribeiro and Isabel Soares

Wiley

Abstract

Business-to-business (B2B) marketing, formerly known as industrial marketing, concerns marketing activities between organizations: companies, governments, institutions, or NGOs. B2B marketing particularities mean fewer customers but more stakeholders, more complex decisions, larger quantities, and higher sums of money involved. Consumers are titled customers. The most important customers exert various forms of power over their providers, often determining prices, sales conditions, deadlines, and product customization details. Rationality and efficiency prevail in decision-making, which is chiefly oriented to best price choices. Purchase procedures are usually formalized, routinized, multistage, and requiring advanced technical expertise from the parts involved. Traditional B2B marketing presumes a close customer/supplier relationship and the use of a sales force. B2B marketing already accounts for more than 80 percent of e-commerce, with CRM and data analysis being important and increasingly developing research matters.

Raquel Barbosa Ribeiro,
Isabel Soares
The Wiley Blackwell Encyclopedia of Consumption and Consumer Studies
Published Online: 24 MAR 2015
DOI: 10.1002/9781118989463.wbeccs013

Keywords:

  • capitalism;
  • internet;
  • management;
  • occupations;
  • organizations;
  • work

Marketing/Marketing Science – by Raquel Barbosa Ribeiro and Isabel Soares

Wiley

Abstract

Marketing is the scientific knowledge and procedures used to persuade consumers to behave according to the objectives set by organizations and individuals. To attain these goals, organizations and individuals offer value to consumers, that is, ways of satisfying their needs and desires, in a relational process of intended reciprocal benefit. Such objectives can encompass selling products, changing attitudes and behaviors, ensuring satisfaction, and motivating adherence to causes. After World War II, marketing became a consistent managerial practice and a recognized academic subject. As well as businesses, marketing is now used by nonprofit organizations. Important marketing concepts are: marketing plan, marketing network, product, service, product life cycle, marketing environment, competition, targeting, segmentation, niche, relationship marketing, CRM, customization, personalization, co-creation, collaborative marketing, social marketing, green marketing, and online marketing.

Raquel Barbosa Ribeiro,
Isabel Soares
The Wiley Blackwell Encyclopedia of Consumption and Consumer Studies
Published Online: 24 MAR 2015
DOI: 10.1002/9781118989463.wbeccs160

Keywords:

  • capitalism;
  • internet;
  • management;
  • occupations;
  • organizations;
  • work

Guia para gerir a reputação das marcas nas redes sociais

Hiper Super, 28 de Outubro de 2014 por Ana Catarina Monteiro

A E.Life, empresa especialista em inteligência de mercado e gestão do relacionamento nas redes sociais, lançou um novo e-book, com o nome “Social Media Monitoring – Para gestão de reputação de marca”.

O guia prático explica como é que os profissionais da comunicação podem tirar partido das redes sociais para aumentar o seu poder de alcance e influência. Ao longo de 20 páginas, pode-se conhecer quais as redes sociais e os seis principais públicos que cada profissional deve monitorizar para uma eficaz gestão das potencialidades da social media, como quem fala da marca, quem visita a página da marca e quem fala com a marca, por exemplo. Do livro conta ainda a ideia de como é que o acesso a todos estes dados sobre o público-alvo das marcas, e dos seus stakeholders, podem ajudar os profissionais da comunicação na gestão de crises. Para isso, o e-book apresenta e analisa uma crise gerada pela companhia aérea mexicana Aeromexico, em 2013, e mostra a evolução das referências à marca nas redes sociais antes, durante e após a crise. Por fim, enumera e explica as quatro etapas que pressupõem o processo de construção da reputação de uma insígnia nas redes sociais, tais como monitorizar, analisar, planear e agir. O “Social Media Monitoring – Para gestão de reputação de marca” é gratuito e destina-se a profissionais de comunicação, relações públicas e assessores de imprensa. O E.Life Group nasceu no Brasil, em 2004, e está actualmente presente na Alemanha, Austrália, Espanha, México e Portugal. Conta com 200 colaboradores e mais de 80 clientes activos, softwares próprios e uma equipa de tecnologia que ascende aos 50 profissionais. A empresa detém já uma solução SaaS para avaliação da social media, o Buzzmonitor, e está a dar passos em soluções de Social Big Data.

Livro Marketing para Estudantes de Comunicação

Este Manual resulta da experiência académica e profissional de uma equipa de docentes, investigadores e marketeers com ligação ao ISCSP. O seu objectivo principal é ajudar os estudantes de Comunicação a perspectivar o Marketing como um conjunto de instrumentos e técnicas para resolver problemas, desenvolver projectos, tomar decisões e assumir riscos. A sua utilidade reside particularmente na procura de conhecimento sobre as audiências e públicos de consumidores, para aplicar nas orientações e decisões relativamente a conteúdos e formatos das mensagens veiculadas (sejam estas com intuitos noticiosos, institucionais ou comerciais).
O livro é fundamental para as disciplinas de Pesquisa de Marketing, Marketing e Pesquisa e Avaliação em Comunicação Estratégica, bem como para os estudantes que pretendam desenvolver teses sobre estas áreas temáticas. Inclui abundantes exemplos, resolução de testes e casos práticos (case-studies).

Coordenação de Raquel Barbosa Ribeiro. Autores: Ana Luísa Reis, Caterina Foa´, Paulo Farias Rodrigues, Sónia Pedro Sebastião e Sofia Alves. Colaboradores: André Pacheco, João Santos Pereira, Manuela Pinto, Mariana Santos, Riddhi Jamnadas.

Para encomendar: http://causadasregras.com/?post_type=product

Já são mais de 1,9 milhões de portugueses a consultar blogues.

Briefing, quarta, 10 setembro 2014 12:08Já são mais de 1,9 milhões de portugueses a consultar blogues. Os dados são do Bareme Internet da Marktest e indicam que 22,8% do universo analisado afirma ter este hábito. Segundo o estudo, são 1 948 mil de residentes no continente com 15 e mais anos que afirmam consultar blogues. São os jovens dos 15 aos 24 anos que possuem maior afinidade com este hábito, sendo que 42,5% confirmam consultar blogues. Os valores baixam com o subir da idade e chegam a um mínimo de 2,6% junto dos indivíduos com mais de 64 anos. Entre as classes sociais, os valores baixam gradualmente de um máximo de 45,9%, entre os indivíduos da classe alta, para um mínimo de 6,7% entre os indivíduos da classe baixa. Ao analisar as variáveis regiões e sexo as diferenças diminuem, embora os homens apresentem uma taxa superior à das mulheres, assim como os residentes da Grande Lisboa.

Maioria dos anunciantes portugueses desloca investimento para o digital

Cerca de 75% dos maiores anunciantes portugueses estão a deslocar parte do orçamento em marketing e comunicação dos meios tradicionais para os canais digitais, conclui o estudo Digitrends, da consultora QSP. «Existe uma clara tendência de deslocação do investimento em marketing e comunicação para ferramentas digitais», segundo o estudo desenvolvido pela QSP — Consultoria de Marketing, sobre a forma como as marcas com maiores investimentos publicitários utilizam o marketing digital dentro das suas estratégias globais de marketing e comunicação. De acordo com a pesquisa, 31% das marcas aloca entre 11 a 15% do investimento em marketing nos canais digitais, 22,2% dos anunciantes destina mais de 15% e 10% canaliza cerca de 20%.

Contudo, acrescenta o documento, mais de 70% das marcas diz que investiu até 300 mil euros em marketing digital no último ano, o que mostra que o investimento neste canal ainda é muito reduzido face ao total do investimento publicitário. Ainda assim, quase 6% despendeu mais de um milhão de euros. «Esta deslocação deve-se ao facto de as marcas acreditarem que os clientes e o público estão a deslocar-se para o ambiente digital, ainda assim uma parte considerável (22,2%) fá-lo também porque considera mais barato», lê-se no estudo.

Os principais motivos para o investimento em marketing digital são a visibilidade e o envolvimento dos clientes atuais e potenciais e não tanto o aumento de vendas ou uma melhoria na qualidade da sua oferta. O número de pessoas alocadas ao marketing digital é muito reduzido; contudo, 24,5% das marcas aumentou a sua estrutura nos últimos dozes meses. Prevê-se que, no próximo ano, este indicador fique praticamente inalterado, com 20% das marcas a prever aumentar o número de colaboradores afetos à gestão das redes sociais.

Gestor de redes sociais, pesquisa e planeamento estratégico, web design e desenvolvimento criativo de publicidade digital serão as áreas em que as marcas mais pretendem recrutar. Segundo o Digitrends 2014, mais de metade das marcas utiliza aplicações móveis, sendo que 82,2% dos maiores anunciantes portugueses estimam que aquelas serão de extrema importância no próximo ano, 80% aposta na presença nas redes sociais e 88,9% têm site corporativo. As redes sociais são a principal ferramenta onde as marcas tencionam investir mais dinheiro e recursos este ano. Cada vez mais utilizadas para comunicar de forma espontânea com os clientes, são usadas por 60% das marcas para melhor compreensão do cliente e suas necessidades e por 51,1% dos anunciantes na resposta a solicitações e reclamações dos clientes. A liderança cabe ao Youtube, seguido pelo Facebook, sendo que 73,5% das marcas que utilizam esta última rede social investem em publicidade. O estudo mostra ainda que o mobile marketing não faz parte da estratégia de marketing digital de 40% das marcas e apenas 24,4% têm recursos internos afetos a este canal, sendo os sistemas iOS e Android praticamente os únicos em que as marcas aplicam esforços.

Os principais conteúdos disponibilizados pelas marcas nas plataformas móveis são notícias sobre os produtos/serviços (55,6%), notícias sobre promoções (48,1%), divulgação de campanhas nos outros meios digitais (44,4%) e notícias sobre a marca (40,7%).

Quanto ao email marketing, 75,5% das marcas desenvolvem e executam estratégias e ações neste domínio e 44,4% dispõe de recursos internos para o efeito. Já 31,1% recorrem a serviços em regime de ‘outsourcing’ (subcontratação) e 74% das marcas utiliza o email marketing para o envio de ‘newsletters’ (boletim informativo). No que diz respeito ao comércio eletrónico, 27% dos maiores anunciantes possui canal de venda online próprio, 20% das marcas obtém mais de 500 mil euros de receita por esta via e 25% assume que as vendas online representam mais de 10% do total de volume de negócios. O meio de pagamento mais disponibilizado para as compras online é a rede Multibanco (50%).

A pesquisa baseou-se num inquérito estruturado, realizado entre 26 de maio e 30 de junho deste ano, sendo que as marcas que responderam ao inquérito representam 36,3% do total do investimento publicitário das 150 marcas do universo e 21% do investimento publicitário realizado em Portugal.

2014-09-03 14:15
Dinheiro Digital com Lusa